N-Sub

Escolha sua língua: Português English

Introdução

arcade

Download: nsub.zip

Em 1980, o arcade Space Invaders criado pela Midway fazia dois anos de idade. Apenas em seu primeiro ano, ele arrecadou por volta de centenas de milhões de dólares em fichas nos fliperamas; e no seu segundo ano, com o lancamento da versão caseira para o videogame Atari 2600, ele firmava-se como um marco da história do videogame. Tanto sucesso, é claro, gerou uma onda de imitações. Muitos se lembram de Galaxian e Galaga, outros lembram-se de Megamania, mas poucos se lembram de N-Sub!

Space Invaders tratava da invasão da Terra por forças alienígenas... mas não precisávamos de alienígenas para ter medo em 1980. Em plena guerra fria, aparelhos de destruição em massa proliferavam; entre eles, os temidos submarinos nucleares.

Para ter uma noção do poderio de um submarino nuclear, considere a capacidade total de poder de fogo gasto em toda a Segunda Guerra (incluindo as bombas de Hiroshima e Nagasaki): 3 megatons. Um submarino nuclear típico da época, como o Poseidon, tinha mísseis nucleares com 9 megatons. Ou seja, um único submarino era capaz de tanto estrago quanto três Segundas Guerras inteiras! E esse era apenas o submarino típico. Os mais avançados, como o submarino Trident, tinham poder de fogo equivalente a 24 megatons (ou oito guerras mundiais)!

Portanto, nada mais natural que a Sega, ao fazer um jogo concorrente ao Space Invaders, usasse como tema os submarinos nucleares. N-Sub foi lançado nos arcades em 1980, e, embora não tenha feito o mesmo sucesso de Space Invaders, também ganhou uma versão caseira em 1983, para o videogame SG-1000, da própria Sega. A tecnologia em 1980 não era muito avançada, então a versão do videogame conseguiu ser bastante fiel ao arcade, mantendo os mesmos gráficos e os mesmos efeitos sonoros (nenhuma das versões chegou a ter música de fundo).

N-Sub foi um dos jogos da Sega que nunca foram portados para MSX em sua época comercial. Motivado pelo Concurso Submarino promovido pelo MRC, resolvi criar uma versão de N-Sub para MSX, e ainda, como extra, coloquei uma tela de abertura no jogo, que o original nunca chegou a ter por limitações de memória. Divirta-se com mais este jogo inédito para MSX!

Screenshots

sshot sshot

The making of N-Sub

original opening O trabalho em N-Sub começou dia 14 de maio de 2004. Navegando pelos meus bookmarks, eu descobri que o dia seguinte seria a data final de entrada no Concurso Submarino do MRC, e pensei: em um dia deve dar pra portar o N-Sub e participar. Mas o jogo original tem só 16kb, deixando muita memória livre, então eu pensei: por que não adicionar uma nova tela de abertura, como eu fiz no Rambo Plus? A tela original do N-Sub era muita feia, como pode ser visto ao lado.


A primeira coisa a ser feita era escolher uma nova figura. Procurando no Google Images por submarinos nucleares, eu achei esse à esquerda.


Mas o jogo também precisava de um logo, e seria legal se desse pra colocar o logo original do arcade. Novamente, procurando no google, eu consegui achar o flyer original, de onde deu pra tirar o logo.


Depois de escolher o elementos gráficos, a tela foi montada no Adobe Photoshop. Todos os elementos foram reduzidos a tons de cinza. Porém, essa tela ainda não podia ser carregada no MSX, já que a SCREEN 2 suporta apenas duas cores para cada 8 pixels.


A solução foi usar o conversor gráfico do Fudebrowser. Depois de trocar no Photoshop um dos tons de cinza por azul, a imagem foi convertida pelo Fudebrowser e carregada no Graphos 3.


O Zoom do Graphos é sem dúvida a melhor ferramenta para pintar telas na SCREEN 2. Este é um exemplo do mar logo abaixo do submarino.


Assim ficou a figura depois de pintada aquela área. Eu também pintei um pedaço do logo para ver se o tom de vermelho era o correto.


Estas são alguns figuras tiradas durante o processo de pintura. Nesse ponto eu percebi que não conseguiria terminar a tempo sozinho, então chamei o Cyberknight e perguntei se ele não poderia ajudar com a pintura. Trabalhar com o Cyberknight é sempre divertido, já que eu costumo adotar a solução realística (o céu deve ser pintado de azul, preto se for à noite), e ele usualmente tende à interpretação artística (por que não pintar o céu de roxo, pra deixar a figura mais sombria e sinistra?)


Enquanto eu fazia a trabalho de conversão do SG-1000 para o MSX, o Cyberknight terminou a pintura das montanhas e dos logos, até mesmo adicionando cores novas que ficaram bem melhores que meu vermelho sólido.


Depois de terminada a programação, eu voltei para a pintura e ajudei o Cyberknight a terminar o desenho. Quando acabamos de pintar, faltavam apenas 15 minutos para o deadline do concurso, e tinha algo faltando!


O submarino não tinha periscópio! Eu rapidamente programei uma rotina de sprites para adicionar o periscópio sem perigo de borrar. Checando o tempo: faltavam 5 minutos. Eu então fiz o pacote de distribuição e enviei para o MRC, bem na hora.

Créditos

Jogo Original
SEGA 1980,1983,1988
Versão para MSX
Ricardo Bittencourt
Tela de Abertura
Ricardo Bittencourt
Cyberknight
< Voltar para o blog do Ricbit

< Voltar para o Mundo Bizarro
Autor: Ricardo Bittencourt
Data: 2004.05.15
Copyright © 2004 Ricardo Bittencourt